domingo, 9 de dezembro de 2018

DEZEMBRO - Laranja ´o mes de compate ao Cancer de pele

câncer de pele

 

A pele, o maior órgão do corpo humano, é composta por duas camadas: a epiderme, na parte externa, e a derme, na parte interna. Além de regular a temperatura do corpo, ela serve de proteção contra agentes externos, como luz do sol e calor, contra agentes infecciosos e agentes químicos (ingestão de arsênico, exposição a raios-X e rádio). 

Os cânceres de pele são muito comuns no Brasil (25% dos tumores malignos diagnosticados), e a maioria ocorre por causa do excesso de exposição aos raios ultravioleta do sol.

Eles podem ser de vários tipos. Os mais comuns são os carcinomas (carcinoma basocelular e carcinoma epidermoide) com incidência mais alta, porém menor gravidade, e os melanomas que, apesar de menos frequentes, são mais graves por causa do risco de metástases aumentado.


Sinais de câncer de pele que você não deve ignorar




O melanoma é o câncer de pele mais agressivo, mas também mais raro. Seu risco se deve ao fato de que costuma começar nas camadas mais profundas da pele.
Quando este tipo de câncer surge, pode se expandir a outras áreas ou órgãos do corpo.

Por sua vez, o carcinoma gera mudanças na base celular e é o tipo mais comum e menos agressivo.

Este costuma surgir na região média e superior da pele, por isso notá-lo é bem simples.

O do tipo melanoma costuma ser tratado com uma pequena cirurgia que elimina todas as células alteradas, por isso é fácil de tratar.


Sinais do câncer do tipo melanoma


Todos temos pintas, sem importar o tom da pele, por isso não devemos nos preocupar exageradamente. Estas pintas são consideradas lesões benignas que se formam por células que sintetizam a cor da pele.

Porém, se notar que de repente começam a aparecer muitas pintas ou que as que você teve a vida inteira começam a mudar, então é bom visitar um dermatologista.


As mudanças que deve vigiar corresponde às letras A, B, C, D e E:


A de assimetria


Pode ser um pouco complicado verificar quando uma pinta é assimétrica, mas pode dividir a pinta com uma régua.

Quando dividida em 2, compare ambos os lados. Se não forem iguais, poderia se tratar de um dos sinais de câncer de pele.


B de bordas irregulares


Em uma pinta normal a borda é lisa e regular. Se for irregular, caseada ou rasgada, é preciso prestar atenção ao restante dos sinais.

É muito importante que não deixe essa característica passar desapercebida.




C de cor


Há todo tipo de pintas: vermelhas, brancas, marrons e pretas. Se forem de nascença, a cor não tem muita importância.

Porém, se muda a tonalidade em uma parte ou por completo, é preciso procurar um médico que revise bem, já que isso não é normal.


D de diâmetro

Se a pinta for maior do que 6 milímetros, é conveniente que um dermatologista a examine minuciosamente.

Os melanomas costumam se caracterizar por serem pintas maiores do que esta medida
.





E de evolução


Qualquer mudança em uma mancha ou pinta existente é algo que deve ser examinado com cuidado.

Isto inclui qualquer variação no tamanho, forma, cor ou se a pinta sangra sem motivo. Às vezes o ponto pode inclusive começar a desaparecer.

A taxa de mudança é muito relativa, por isso é importante saber o que é normal em sua pele e assim poder detectar os possíveis sinais precoces.


Sinais do câncer de pele do tipo melanoma


Dissemos antes que o melanoma é a variante mais perigosa do câncer de pele. Porém, de forma alguma devemos deixar um melanoma passar desapercebido.

Quando falamos de saúde, é importante que sempre prestemos muita atenção a qualquer sintoma ou incômodo antes que os problemas sejam maiores.

Dentre os sintomas do câncer de pele não melanoma que você deve vigiar estão:

  • Pequenos pontos de cor pálida com células de sangue visíveis.
  • Manchas ou regiões avermelhadas e irritadas ao redor do peito e das costas.
  • Úlceras abertas que sangram ou formam crosta.
  • Lesões brancas similares a cicatrizes que aparecem sem motivo aparente.
  • Um crescimento de cor de rosa com um leve encaixe no meio.
  • Verrugas que têm crosta na parte superior sem que tenham sido rasgadas.
  • Regiões avermelhadas e com ardor.

O câncer de pele tem cura?


Câncer de pele tem cura, mas é importante que haja um diagnóstico precoce. Quanto mais cedo o câncer de pele for descoberto, maior é a chance de sucesso no tratamento e, consequentemente, de cura do paciente.

Dos 3 tipos de câncer de pele (carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular e melanoma), os carcinomas representam a grande maioria dos casos, mas é o melanoma aquele que apresenta o maior risco de morte devido ao risco de metástase (alastramento do câncer para outros órgãos do corpo). Porém, se for diagnosticado precocemente, o melanoma tem um alto percentual de cura.

O tratamento do câncer de pele depende do seu tamanho, tipo e da sua localização. Os carcinomas podem ser curados por completo através de cirurgia. Casos em que há um maior risco de metástase ou quando ela já ocorreu, pode ser necessário realizar radioterapia ou quimioterapia após a cirurgia.

É importante estar atento a qualquer alteração nas pintas ou feridas na pele que não cicatrizam. Se algum desses sinais for observado, recomenda-se procurar o/a médico/a dermatologista ou médico/a de família o mais rápido possível.

Quais precauções tomar para evitar o câncer de pele?


Sabemos que não podemos ficar completamente a salvo de todas as doenças. Especialmente quando elas estão relacionadas com fatores externos, como o clima e o sol.

Felizmente, é possível tomar algumas medidas de precaução para evitar que os problemas se agravem.

No caso do câncer de pele deveria:

  • Evitar a exposição excessiva ao sol
  • O ideal é que não passe mais de duas horas exposto ao sol. Se for ficar do lado de fora, é recomendável que procure sempre por lugares na sombra.


Usar protetor solar sempre


Hoje em dia existe uma ampla gama de protetores solares que se adaptam a todos os gostos e orçamentos. Isto é excelente, pois é recomendável que estejamos sempre protegidos.

Lembre-se de que deve voltar a aplicar o protetor a cada duas horas e que é melhor um com fator de no mínimo 45.


Vigie sua pele para observar qualquer mudança


A precaução mais importante sempre será estar atento a qualquer mudança. Conheça seu corpo e examine-o de forma constante.

Quando notar alguma mudança das que citamos aqui, não deixe de procurar um dermatologista.

Agora que você conhece estes sinais do câncer de pele, é sua responsabilidade vigiar qualquer possível variação em sua pele. Ainda que se trate de uma doença que assusta a muitos, a prevenção é possível
.
Fonte:



Nenhum comentário:

Postar um comentário